sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Ilva Niño se apresenta em Pernambuco após 53 anos



Publicado por Márcio Bastos

Há 53 anos, Ilva Niño deixava Pernambuco não por escolha, mas por imposição. Ao lado do marido, o ator, diretor e dramaturgo Luiz Mendonça (1931-1995), rumou para o Rio de Janeiro fugindo da Ditadura Militar, que com sua ideologia repressora perseguia a artista e seus parceiros do Movimento de Cultura Popular (MCP). Desde então, ela construiu uma carreira sólida ao redor do país, com personagens marcantes e uma trajetória que permaneceu ligada à visão da arte como instrumento de transformação. Porém, durante esse período, não se apresentou em sua terra natal. Dias 13 e 14 de janeiro, no entanto, quebrará esse jejum de uma forma ainda mais especial: encenará Cabaré da Humanidade, peça escrita por seu filho, Luiz Carlos Niño (falecido em 2005), no teatro que leva o nome do seu falecido marido, localizado no Parque Dona Lindu.
Foto: Divulgação

Nascida em Floresta, mas criada em Arcoverde, na juventude Ilva começou a se envolver com teatro. Quando fazia parte do Teatro Adolescente do Recife, nos anos 1950, foi acolhida por Ariano Suassuna, que dirigiu o primeiro espetáculo no qual ela atuou: Antígona. A produção contava ainda com cenário de Aloísio Magalhães e figurinos assinados por Francisco Brennand.

“Começar assim não tinha como fracassar”, brincou em entrevista à TV JC. “Além disso, o MCP foi uma base para todo mundo. Não era só você subir no palco e mostrar os espetáculos. A gente passava a noite estudando, discutindo. A gente tinha o interesse de se formar e formar os outros enquanto cidadãos. Fizemos trabalhos dentro dos engenhos, onde estava (o líder das Ligas Camponesas) Francisco Julião. Fazíamos um trabalho sem se ligar politicamente a nenhum grupo, mas altamente político”, relembrou.

FUGINDO DA DITADURA
Com o golpe militar de 1964, a perseguição aos artistas se intensificou e Ilva e Luiz Mendonça precisaram fugir, de supetão, rumo ao Sudeste. A viagem foi caótica, durou 18 dias e o casal foi exposto a todo tipo de adversidade.

“Saímos sem dinheiro, sem comida, sem nada até chegar no Rio de Janeiro. Muita gente soube do nosso trabalho com o MCP e quando estávamos no Rio, um advogado pernambucano, que tinha ouvido sobre a gente, nos convidou para fazer teatro nas fábricas. (O dramaturgo) Dias Gomes também nos ajudou. Com ele, fiz O Pagador de Promessas e, quando ele foi convidado para ir para a televisão, na novela Verão Vermelho, em 1969, me levou”, contou.
Foto: Daryan Dornelles/Divulgação

Desde então, foram dezenas de novelas, entre elas personagens marcantes como Mina, em Roque Santeiro, e dona Epifânia, em Cheias de Charme, que atualmente está sendo reprisada na Rede Globo. No teatro, também continuou sempre ativa. Aos 83 anos, faz de Cabaré da Humanidade, especificamente, um trabalho carregado de afeto. A obra escrita pelo seu filho é uma ode ao teatro de revista e trata de forma lúdica das mazelas da humanidade.
O texto aborda a jornada de Lúcifer, expulso do Paraíso, e “caído” na Lapa. Encantado com Madame Satã, o Belzebu resolve viver de teatro e, na sua peça, resolve contar o caos (ou o cabaré) da humanidade desde a pré-História até os tempos atuais, com personagens como Cleópatra, César, Maria Antonieta, Mao Tsé Tung e George Bush, pai e filho. Tudo em clima irreverente e cheio de cor, com muitas trocas de figurinos e personagens (são 40 personas interpretadas por 9 atores).

“É uma alegria estar aqui depois de ter saído chutada sem uma água para beber e me apresentar em um teatro lindo chamado Luiz Mendonça”, afirmou a atriz, que desde 2003 mantém na Lapa o Niño de Artes Luiz Mendonça.

HOMENAGEM

Dia 20, atriz Ilva Niño se apresenta em Nova Jerusalém com a peça. A encenação abre as comemorações dos 50 anos da Paixão de Cristo, que teve Luiz Mendonça, nascido ali no Brejo da Madre de Deus, como primeiro intérprete de Jesus Nazareno.

SERVIÇO
Cabaré da Humanidade
Quando:13 e 14 de janeiro, às 20h, no Teatro Luiz Mendonça (Parque Dona Lindu)
Ingressos R$ 60 e R$ 30 (meia)

Caruaru: dia 18, às 20h, no Teatro Rui Limeira Sobral, no Sesc Caruaru. Ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia)

Fonte: http://jc.ne10.uol.com.br/blogs/terceiroato/2017/01/13/ilva-nino-se-apresenta-em-pernambuco-apos-53-anos/