sábado, 14 de setembro de 2019

Parada LGBTI+ deve reunir 500 mil pessoas em Boa Viagem


O evento será realizado neste domingo (15). Estão programados 12 trios elétricos, além de shows no parque Dona Lindu


Por: Wellington Silva



Parada da Diversidade de PernambucoFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

"Ontem, hoje e sempre. Resistir para libertar". É com esse tema que a 18ª Parada da Diversidade de Pernambuco ocupará as ruas do Recife, neste domingo (15). A expectativa dos organizadores é de levar cerca de 500 mil pessoas para a avenida Boa Viagem, na Zona Sul, com concentração no parque Dona Lindu, a partir das 9h. Apresentações artísticas culturais, além de falas de ordem e shows, fazem parte do evento que tem como momento mais esperado o desfile de 12 trios elétricos pela orla, a partir das 12h, com dispersão em frente à padaria Boa Viagem, às 17h30.

Organizada pelo Fórum LGBT de Pernambuco, a Parada da Diversidade já é consolidada como um momento especial para a causa LGBTI+ no Estado. O coordenador do Fórum LGBT, Thiago Rocha, destaca que o evento é um ato político. "Vínhamos em uma crescente evolução, visualizando avanços de políticas públicas voltadas à cidadania plena da população LGBT. Contudo, a gente vem sofrendo algumas perdas e retrocessos políticos. Neste ano, a grande importância de permanecer com a Parada é para mostrarmos que estamos aqui, resistindo", disse.


No palco montado no Dona Lindu haverá apresentações de Gaby do Carmo e Amigas do Brega, além do DJ Jefferson e show performático. "Queremos mostrar que existimos e precisamos de políticas públicas. Pedimos respeito por uma cidadania que qualquer pessoa merece ter. Resistimos em busca de uma liberdade plena de sermos quem somos da forma que desejamos ser", acrescenta Thiago Rocha. Nesta edição, a homenageada será a trans Bárbara Finsking, de 48 anos.

A Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) montou um esquema especial de trânsito para monitorar a avenida Boa Viagem, domingo. Ao todo, 120 agentes de trânsito participarão da operação. A Central de Operações de Trânsito vai monitorar o fluxo de veículos. Trecho da avenida Boa Viagem, entre a avenida Armindo Moura e a rua Padre Bernardino Pessoa, será interditado das 9h às 20h. Além disso, outras 20 ruas que interligam a rua dos Navegantes à avenida Boa Viagem também terão interdições durante o período. Os bloqueios serão desfeitos conforme a passagem do desfile.

A CTTU informa aos moradores do bairro de Boa Viagem e aos frequentadores da orla que, devido à passagem dos trios-elétricos e ao grande movimento de pessoas esperado, não será permitido o estacionamento ao longo do trecho interditado da Avenida Boa Viagem. O Grande Recife Consórcio de Transportes informou que divulgará hoje o esquema de reforço e desvios de ônibus que circulam no perímetro do evento.

Fonte: https://www.folhape.com.br/noticias/noticias/inclusao/2019/09/13/NWS,116203,70,1149,NOTICIAS,2190-PARADA-LGBTI-DEVE-REUNIR-500-MIL-PESSOAS-BOA-VIAGEM.aspx

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Motociclistas se reúnem no Parque Dona Lindu, em Boa Viagem, Zona Sul da Capital


Ato no Recife conscientiza sobre o uso de cerol e linha chilena

As linhas cortantes podem causar graves ferimentos.
Foto: Alexandre Lopes/ Especial para o JC
Editoria Cidades

Se para alguns empinar pipa é um passatempo divertido, para outros, a brincadeira pode ser sinônimo de risco. Com o propósito de discutir e chamar atenção para o combate ao uso de cerol e linhas chilenas, motociclistas do Recife realizam ato neste sábado (10), às 10h, no Parque Dona Lindu, em Boa Viagem, Zona Sul da capital. A mobilização faz parte do movimento nacional Motociclistas Pela Vida. O grupo se reúne com bandeiras e panfletos para conscientizar sobre o perigo que correm os condutores.

O evento acontece pouco mais de um mês da aprovação na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) da lei que proíbe o uso de todas as linhas cortantes. O texto, de autoria do deputado estadual Romero Sales Filho (PTB), expande a norma de 2001 que já tornava ilegal o cerol, mistura feita à base de vidro e cola. O código estabelece uma multa de R$ 1.000 para infratores, e o dobro do valor em caso de reincidência.

Apesar do avanço na legislação, quem anda de moto ainda se queixa da falta de controle. “É preciso que as autoridades tenham mais empenho na fiscalização para não existir mais essa prática. Se alguma atitude fosse tomada, não haveria incidência”, ressata um dos organizadores do protesto, Vinicius Alvino, 27 anos.

Por serem cobertos com substâncias como pó de ferro, quartzo moído e óxido de alumínio, os artefatos podem causar graves ferimentos. Na velocidade em que trafegam os veículos, a linha chilena – mais resistente que o cerol – tem capacidade para cortar desde a antena de proteção da moto até a lataria de carros ou caminhões.

Em dezembro, um motociclista de 38 anos morreu após ser atingido no pescoço por uma corda com cerol na BR-101, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife (RMR). “É um sentimento de insegurança. No trânsito, a gente já corre perigo. Quando você tem um agente externo que aumenta a probabilidade de morte, você fica com medo. Tem risco de morrer pelo corte da linha, ou pelo acidente que pode ser causado pelo envolvimento com ela, de cair, de bater”, relata Vinicius Alvino.

O entregador Sandoval Santos Júnior, 36, por exemplo, teve a mão cortada com cerol enquanto dirigia. “Minha sorte é que eu estava a uns 40 km/h. Quando vi, a linha já pegou no meu pescoço e eu tirei com a mão rapidamente. Tive sorte”, conta. O motociclista também cobra maior rigidez da lei.

Para Vinicius Alvino, a solução está em retirar os empinadores de perto das vias. “Conversei com alguns e eles se mostraram conscientes em relação ao problema. Mas dizem que não existe local adequado para a prática. Eles falam que deveria ter um lugar seguro em que não houvesse risco à população”, diz.

O Corpo de Bombeiros faz várias recomendações a quem empina pipas. A principal é não utilizar linhas cortantes. Brincar longe de rede elétrica, evitar dias de chuva e lugares movimentados, próximo a passagem de veículos, também minimizam o risco de acidentes.

Quando questionada, a Secretaria Estadual de Defesa Social (SDS) não respondeu sobre a fiscalização. Em nota, disse que "em caso de lesões provocadas pelo uso irregular desse tipo de produto, a Polícia Civil é a instituição competente para investigar e buscar punição para os responsáveis". Solicitou, ainda, a colaboração da população para não "adquirir nem utilizar indevidamente esse tipo de produto perigoso e, caso essa conduta seja detectada, denuncie às forças policiais".
Confira a nota da SDS na íntegra

"A SDS informa que, de acordo com a Lei Estadual Nº 11.931, de 3 de janeiro de 2001, prevê a fiscalização e a instauração de inquérito policial nas situações cabíveis de uso de cerol ou outro material cortante em pipas. Em caso de lesões provocadas pelo uso irregular desse tipo de produto, a Polícia Civil é a instituição competente para investigar e buscar punição para os responsáveis. As polícias solicitam a colaboração da população no sentido de não adquirir nem utilizar indevidamente esse tipo de produto perigoso e, caso essa conduta seja detectada, denuncie às forças policiais."

sábado, 13 de julho de 2019

Festival de Teatro para Crianças de Pernambuco apresenta 13 espetáculos no Recife


Programação se divide em três locais: Teatro Santa Isabel, Teatro Barreto Júnior e Teatro Luiz Mendonça. Ingressos custam R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia).

Por G1 PE

05/07/2019 11h39 Atualizado há uma semana




Peça 'Pluft, o Fantasminha' é apresentada no Teatro de Santa Isabel nos dias 20 e 21 de julho — Foto: Costa Neto/Divulgação



Treze espetáculos estão na programação do 16º Festival de Teatro para Crianças de Pernambuco. As encenações acontecem às 16h30 nos finais de semana de julho, a partir do sábado (6) até o dia 28, em três teatros localizados no Recife.


As apresentações do festival acontecem no Teatro de Santa Isabel, no bairro de Santo Antônio, na área central da cidade; no Teatro Barreto Júnior, no bairro do Pina, e no Teatro Luiz Mendonça, no Parque Dona Lindu, em Boa Viagem, ambos na Zona Sul da capital.


Na edição deste ano do festival, o homenageado é o jornalista e escritor Cícero Belmar, um dos integrantes da Academia Pernambucana de Letras.


Os ingressos estão à venda nas bilheterias dos três teatros. Os valores são R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia para crianças a partir de 2 anos, estudantes, professores e idosos).

Confira a programação

Teatro de Santa Isabel

6 e 7 de julho – "A Pequena Sereia"
13 e 14 de julho – "Meu Reino por um Drama"
20 e 21 de julho – "Pluft, o Fantasminha"
27 e 28 de julho – "Sebastiana e Severina"

Teatro Luiz Mendonça

6 e 7 de julho – "Simba – O Rei Leão"
13 e 14 de julho – "O Segredo da Arca de Trancoso"
20 e 21 de julho – "O Gato de Botas"
27 e 28 de julho – "Pinóquio"


Teatro Barreto Júnior

6 e 7 de julho – "Troca-se Histórias por Brincadeiras"
13 e 14 de julho – "A Batalha da Vírgula contra o Ponto Final"
20 e 21 de julho – "Chapeuzinho Vermelho em uma Aventura na Floresta"
27 de julho – "Tio Dodinho e a Bicharada"
28 de julho – "Era Uma Vez no Fundo do Mar"


Serviço


16º Festival de Teatro para Crianças de Pernambuco

De sábado (6) até o dia 28 de julho, às 16h30

Teatro de Santa Isabel - Praça da República, 233, Santo Antônio, Recife

Teatro Luiz Mendonça - Parque Dona Lindu, na Avenida Boa Viagem, Boa Viagem, Recife
Teatro Barreto Júnior - Rua Est. Jeremias Bastos, Pina, Recife

Ingressos: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia), à venda nas bilheterias


Fonte: https://g1.globo.com/pe/pernambuco/noticia/2019/07/05/festival-de-teatro-para-criancas-de-pernambuco-apresenta-13-espetaculos-no-recife.ghtml