domingo, 18 de junho de 2017

Do PorAqui: Dia da Yoga tem celebração gratuita no Dona Lindu no domingo (18)


Por Suzana Souza | Em Setúbal |



foto: divulgação/Centro de Iyengar Yoga do Recife



Em comemoração ao Dia Internacional da Yoga, que acontece no próximo 21 de junho, o Centro de Iyengar Yoga do Recife preparou uma programação especial no Parque Dona Lindu, em Setúbal, na Zona Sul do Recife.

Serão aulas abertas ao público no domingo (18), a partir das 7h30. A programação contará com aulas baseadas no ensinamento do Yoga segundo B.K.S. Iyengar, através da prática dos asanas (posturas) e do pranayama (respiração iogui).

Poderão participar pessoas de qualquer idade, inclusive crianças que irão ter uma aula especial às 9h30. Quem quiser participar basta chegar no local 10 minutos antes de cada aula, levar água e usar uma roupa confortável.


Programação completa
7h30 às 8h15: Aula de Yoga Iyengar

8h15: Demonstração das Asanas (posturas do Iyengar)

8h30 às 9h15: Aula de Yoga Iyengar

9h30 às 10h15: Aula de Yoga Iyengar para crianças

10h30 às 11h15: Aula de Yoga Iyengar

14:30 às 15:15: Aula de Yoga Iyengar para crianças

14h30 às 15h15: Aula de Yoga Iyengar

15h30: Demonstração das Asanas (posturas do Iyengar)

15h45 às 16h30: Aula de Yoga Iyengar


Fonte: http://poraqui.news/setubal/dia-da-yoga-tem-celebracao-gratuita-no-dona-lindu-no-domingo/

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Exposição de Renato Valle no Dona Lindu reúne obras de cinco centímetros a quatro metros

Mostra 'Religiosidade e política na obra de Renato Valle' apresenta cerca de 30 obras, entre desenhos e instalações tridimensionais

Obra A filha da monga, realizada originalmente em 2005 e cedida pelo Mamam para a mostra na Galeria Janete Costa. Crédito: Renato Valle/Divulgação



Por: Isabelle Barros



O artista visual Renato Valle usou seu talento com o desenho e com a composição com objetos e instalações para traçar um caminho muito particular em sua trajetória. A exposição Religiosidade e política na obra de Renato Valle, traz um recorte específico de sua produção com cerca de 30 obras criadas a partir de 2002. Elas variam entre desenhos em grande formato, com quase cinco metros de largura, a obras com cinco centímetros. A mostra, com curadoria de Valquíria Farias, tem abertura no dia 31 de maio e segue até 23 de julho na Galeria Janete Costa, localizada no Parque Dona Lindu.

Mesmo tendo quase quarenta anos de carreira e experimentado também a pintura como forma expressiva, foi a partir do desenho e das instalações que a produção de Renato se destacou na última década. Cronologicamente, a obra mais antiga da exposição é a série Diário de votos e ex-votos, desenvolvida entre 2003 e 2005. São 250 pastas com 5 mil desenhos de 5cm x 5cm, em um trabalho diário que emulou os pedidos e agradecimentos feitos pelos homens e mulheres do interior agarrados à fé católica. “Ao mesmo tempo em que enfatizam a espiritualidade dele, os desenhos são como uma escritura leve de pequenas engrenagens, ligando partes do corpo humano, minuciosamente construídas em cima de certos valores religiosos que incomodam Renato”, avalia a curadora da mostra.

Segundo Renato, “a exposição lida com os conceitos de micropolítica e religiosidade, que é o sentimento em relação ao outro. Eu não posso me ligar ao divino se eu não me ligar ao humano”. A pesquisa realizada no Diário de votos e ex-votos foi aprofundada na mostra Cristos e anticristos, realizada em 2012 no Centro de Artes e Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco. Essa foi a primeira incursão de Renato na tridimensionalidade, com esculturas e objetos.

Centenas de imagens de Cristo crucificado foram confeccionadas com resina pigmentada em branco e preto, trazendo de forma concreta a dualidade entre luz e sombra, bem e mal, a fé e sua exploração. Os objetos foram confeccionados em vários tamanhos e despidos de sua função religiosa a serem dispostos em formas geométricas variadas. Um exemplo disso é a série Colmeia, na qual os crucifixos foram dispostos de forma hexagonal. Na série Nado sincronizado, por sua vez, os crucifixos foram distribuídos de forma lúdica, distante do peso atribuído a eles pela religião.

Outro destaque da exposição é a obra A filha da monga (2005), adquirida por meio de um consórcio e doada para o Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães (MAMAM). Feita em grafite sobre lona e com dimensões de 2,1m de altura x 4,5m de largura, a obra impressiona pelo tamanho, assim como outro trabalho feito pelo artista, Cachorro morto, de 2009. Como várias dessas obras foram cedidads por instituições e colecionadores, o artista não deixa de a agradecê-los. “Eles são fundamentais para o circuito de arte”, assinala.

SERVIÇO

Exposição Religiosidade e Política na obra de Renato Valle
Abertura: 31 de julho (quarta) às 19h
Onde: Galeria Janete Costa - Parque Dona Lindu, s/n, Boa Viagem
Visitação: Quarta a sexta, das 12h às 20h; sábados e domingos, das 14h às 20h, até 23 de julho
Entrada gratuita
Informações: 3355-9825

Fonte: http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/viver/2017/05/31/internas_viver,706429/galeria-janete-costa-no-parque-dona-lindu-recebe-exposicao-de-renato.shtml

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Do Poar Aqui: Duas companhias de balé se unem no palco do Luiz Mendonça em junho

O Teatro Luiz Mendonça, no Parque Dona Lindu, será palco de mais um espetáculo de ballé. Dessa vez, a apresentação fica por conta das escolas Simone Monteiro Ballet (daqui de Setúbal) e Aria Clássico (de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes).


As duas companhias de dança se juntaram e vão se apresentar no próximo dia 3 de junho, às 17h, na segunda edição do Encontro de Dança.

"A apresentação ainda é em comemoração ao Dia Internacional da Dança, que aconteceu em abril. Tivemos que nos adequar aos calendários das duas escolas, mas conseguimos preparar uma produção em dois atos para esse novo espetáculo", detalha Simone Monteiro, professora de ballé no bairro há mais de 25 anos.

Thalia Souza, bailarina da escola Simone Monteiro Ballet (foto: Priscilla Paschoal)

Na apresentação, cerca de 50 alunos irão compor os dois momentos: o primeiro ato com solos de balé e releitura de clássicos e o segundo ato com apresentação de conjuntos e trilha contemporânea.

Thalia Souza, bailarina e moradora de Setúbal, irá fazer um solo no primeiro ato da apresentação: "Faço balé com Simone desde pequena. É realmente como uma família. Os espetáculos são nossas confraternizações da dança".

Os ingressos podem ser adquiridos com os alunos participantes e custam R$ 15. Quem quiser contato com algum aluno pode ligara para Simone pelo (81) 99147-5891.

O jornal de bairro evoluiu. No PorAqui, você encontra estações de conteúdo hiperlocal e colaborativo.


Para baixar o app e espalhar pros vizinhos: Android e iOS

Fonte: http://poraqui.ne10.uol.com.br/setubal/duas-companhias-de-bale-se-unem-no-palco-do-luiz-mendonca-em-junho