terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Encontro TEDxRecife debate ideias que realizam transformações

Evento ocorre no Teatro Luiz Mendonça, Parque Dona Lindu, Boa Viagem.

Palestras podem ser vistas de graça, nesta terça-feira (16), pela internet.



Do G1 PE

Onze palestrantes falam ao público do TEDxRecife (Foto: Luna Markman/G1)

Mais de 500 pessoas estão reunidas no Teatro Luiz Mendonça, no Parque Dona Lindu, em Boa Viagem, Zona Sul do Recife, nesta terça-feira (16), para tirar lições com pessoas que transformaram uma inquietude em verdadeira revolução. Onze palestrantes falam ao público do TEDxRecife sobre ações que começaram de forma silenciosa e hoje chamam a atenção por realizarem transformações em diversos campos, da saúde ao urbanismo, da literatura à reciclagem. As palestras podem ser vistas de graça pela internet, e a previsão é que a última comece por volta das 21h.

A primeira palestrante foi a publicitária, escritora e criadora do blog 'Pó de Lua' Clarice Freire. Após conquistar mais de um 1,2 milhão de seguidores no Facebook com a sua poesia, ela lançou um livro homônimo, este ano, pela editora Intrínseca. Foi por arriscar a entrar neste novo movimento da literatura, onde o escritor começa na internet e depois vai parar nas prateleiras, que Clarice foi chamada para palestrar no TED.
Clarice Freire, publicitária, escritora e criadora do
blog 'Pó de Lua', falou ao público
(Foto: Luna Markman/G1)

"Foi uma alegria estar ali compartilhando uma ideia que eu acredito tanto. A mensagem que eu quis passar é que a literatura é literatura independente da plataforma que ela mesma escolhe para nascer, porque a primeira plataforma é o próprio escritor. Depois, se for para o Facebook, para a página de um livro, nunca vai fazer dela menos literatura. Não deve existir esse preconceito, e eu tenho sentido que isso existe", afirmou.

O primeiro bloco de palestrantes ainda contou com a artista plástica Thiana Santos, que alguns anos vem desenvolvendo novas técnicas de trabalho para o reuso de garrafas Pet, aplicando o conceito de eco design; o presidente do Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil e de Confecções em Pernambuco, Edilson Tavares de Lima, que implantou um sistema de reciclagem de água na lavanderia que possui em Toritama, no Agreste do estado; e do comunicólogo Rui Belfort, envolvido em projetos do Porto Digital e empreendedor na iCanamy, ligada à área da educação.

Também palestrou o arquiteto e sócio-fundador da TGI Consultoria em Gestão, Francisco Cunha, que há cerca de dois anos idealizou a chamada multa cidadã, uma tentativa de tirar os carros das calçadas do Recife por meio de um instrumento de conscientização. Hoje, já são 22 mil multas impressas, a maioria delas aplicadas. "Quero dizer ao público que quando a gente quer fazer algo necessário, devemos primeiro, como diz São Francisco de Assis, fazer o que é necessário, depois o que é possível e, quando menos esperar, estaremos fazendo o impossível. O necessário, nesse caso, é alertar as pessoas para a inadequação, o possível é que cada vez mais pessoas tomem consciência disso e o que parece impossível é deixar os caminhos abertos para que os pedestres circulem", apontou.

Foi da palestra de Cunha que a estudante de publicidade Thaís Menezes, 19 anos, tirou uma das principais lições do dia. "Eu anotei da frase dele que andar nos faz mais urbanos, e faz mesmo. Não ter espaço para o pedestre é muito angustiante", disse. A psicanalista Carmen Cardoso, 68, também achou as apresentações inspiradoras. "É interessante ver exemplos de que as coisas podem ser feitas, basta a gente insistir", comentou.
Deborah Zanforlim, que cursa doutorado na Universidade Federal de Pernambuco, falou sobre pesquisa na área de biotecnologia (Foto: Luna Markman/G1)
A última palestra do dia será realizada pela biomédica Deborah Zanforlim. Ela atualmente cursa doutorado na Universidade Federal de Pernambuco na área de biotecnologia e nanotecnologia para criar um sistema de diagnóstico rápido e seguro para doenças que ainda perturbam a sociedade, como o câncer de mama, por meio de biosessores. "A gente que trabalha na área da saúde vê tudo muito distante, então concretizar um [sistema] diagnóstico desse é um processo muito longo. A mensagem que quero deixar é que nunca desista do seu sonho. Por mais que seja difícil construir esse biosenssor, se a gente não estiver lutando, não acreditar nesse sonho, a gente não vai conseguir realizar", disse.

O TEDxRecife ainda tem palestras do mestre em comunicação Gabriel Marquim; do consultor da Novarth Fernando Félix; do publicitário e administrador e professor Fernando de Holanda; da empreendedora Verena Petitinga; e do fundador do ambulatório da doença de chagas e insuficiência cardíaca do Pró-Cape Wilson de Oliveira Junior. "Se você perceber, todas as palestras têm algo em comum: todas são movimentos que começaram dentro de uma pessoa que acabaram influenciando as pessoas ao redor. Os palestrantes são de várias áreas diferentes, tem política, educação, religião, reciclagem, reutilização de água, mas têm a mesma inquietude: querem transformar o que sentem dentro deles em uma revolução", explicou a expert em comunicação verbal e integrante da curadoria do evento, Daniella Marcusso.

Fonte: http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2014/12/encontro-tedxrecife-debate-ideias-que-realizam-transformacoes.html

domingo, 14 de dezembro de 2014

Exposição itinerante de fotografia revela histórias de catadoras de lixo

Parte do Relix, a mostra fotográfica tem imagens de Helder Ferrer e circula no Parque da Jaqueira, no 13 de Maio e no Dona Lindu


Do JC Online
Foto: Helder Ferrer/Divulgação
Quando começou a visitar cooperativas de coleta e reaproveitamento do lixo, convidado pelo projeto Relix, o fotógrafo Helder Ferrer notou uma singularidade: a maioria desses coletivos era coordenado por mulheres. O ensaio fotográfico que ele pretendia fazer se transformou, assim, em uma série de retratos dessas líderes, mostrando elementos do seu cotidiano e contando sua história. O resultado pode ser conferido a partir deste domingo (14/12) em uma exposição itinerante nas Ciclolix (bicicletas coletoras criadas pelo projeto), que vão passar pelo Parque da Jaqueira, às 11h, pelo Parque 13 de Maio, às 14h30 e às 16h, e Parque Dona Lindu, às 18h30.

A iniciativa, idealizada por Lina Rosa, patrocinada pelo Serviço Social da Indústria em Pernambuco (Sesi/PE) e com apoio da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Semas), vem criando músicas, quadrinhos, calendário e até teatro a partir do universo da coleta. Nos três parques que recebem hoje a exposição itinerante, a peça Espetaculix também será apresentada. O texto fala sobre lixões e sobre o compromisso de cada cidadão na coleta, valorizando o papel do catador. Já são 150 encenações em escolas e indústrias de todo o Estado.

A exposição de Helder, intitulada de Catadoras, é composta por 25 imagens. “Nessas passagens pelas cooperativas, a primeira coisa que me chamou atenção é que as mulheres comandam esse setor. Decidi então que seria um olhar do feminino no processo”, explica. “Também foi um trabalho com a autoestima delas. Apesar de estarem no lixão, vi que as catadoras são também vaidosas: usam maquiagem, têm um brinco, estão com uma fivela no cabelo.”

O resultado são fotos que registram a realidade delas, mas também são convites para conhecer a história de vida de cada uma das retratadas. “Elas sofrem muito preconceito, mas foi muito legal superar essa barreira. No fim, sempre posavam com uma postura muito alegre e com dignidade. Aprendi muito com essa troca, foi extremamente gratificante”, conta o fotógrafo.

Depois de circularem juntas hoje, cem Ciclolix serão doadas para as cooperativas que fazem parte do Relix e as fotografias vão poder ser vistas circulando pelo Região Metropolitana do Recife. O site do projeto –www.projetorelix.com.br – também vai reunir as imagens, junto com o restante das atividades realizadas.

Fonte: http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cultura/artes-plasticas/noticia/2014/12/14/exposicao-itinerante-de-fotografia-revela-historias-de-catadoras-de-lixo-160324.php

sábado, 13 de dezembro de 2014

Fim de semana tem programação em homenagem a Luiz Gonzaga no Recife

Caso estivesse vivo, cantor faria 102 anos neste sábado (13).
Programação inclui shows, cortejo e projeções de vídeo.

Do G1 PE


Festa no Recife celebra Luiz Gonzaga (Foto: Reprodução /
TV Globo)
O fim de semana vai ser de festa para Luiz Gonzaga, o eterno Rei do Baião, que completaria 102 anos no sábado (13) se estivesse vivo. A programação no Recife passa por encontro de forrozeiros, cortejo pelas ruas da região central da capital ao som de muito forró e um show especial da cantora Elba Ramalho, no Parque Dona Lindu. O G1organizou as festas para os apaixonados por forró não perderem nada.

A festa começa com o projeto "Parabéns pra Gonzagão", na sexta-feira (12), no Pátio de São Pedro. É a partir das 19h, com shows de Almir Rouche, Petrúcio Amorim, Maciel Melo, Daniel Bueno e Ed Carlos, todos com repertório baseado nas canções do Rei do Baião.

Os apaixonados pelo universo sertanejo ainda vão poder comprar o "Glossário Gonzaguiano", de Daniel Bueno, que vai estar à venda no local. No Pátio de São Pedro funciona ainda o Memorial Luiz Gonzaga, na casa nº 35, que conta com discos raros, impressos, vídeos e arquivos de Luiz Gonzaga.
Cais do Sertão sedia homenagens a Gonzagão no sábado
(Foto: Luna Markman/ G1)

Cortejo Gonzaguiano
No sábado (13), a festa para o mestre Lua vai contar com o Cortejo do Rei do Baião, com concentração às 14h também no Pátio de São Pedro. Com bonecos gigantes e uma forrovioca, veículo inspirado na frevioca do período carnavalesco, a festa vai percorrer as avenidas Dantas Barreto, Nossa Senhora do Carmo, Martins Barreto, Ponte Buarque de Macedo, Cais do Apolo, Rua do Observatório, Rua Vital de Oliveira e Avenida Alfredo Lisboa, chegando ao Cais do Sertão.

Depois de tanto forró pelas ruas do bairro, o Cais vai sediar mais uma homenagem, com o espetáculo poético musical do grupo Em Canto e Poesia, de São José do Egito, no Sertão de Pernambuco, terra da Poesia, que traz como referência artistas e repentistas da cultura pernambucana.
Elba Ramalho faz homenagem ao Rei do Baião em show gratuito no Dona Lindu (Foto: Divulgação)
Corda, Gonzaga e Afins
O palco externo do Parque Dona Lindu, na Zona Sul da capital, recebe no sábado (13) o espetáculo "Cordas, Gonzaga e Afins", que faz homenagem a Luiz Gonzaga e aos 35 anos de lançamento do primeiro álbum de Elba Ramalho, Ave de Prata. A apresentação é aberta ao público e começa a partir das 19h.

O espetáculo conta com Elba acompanhada do grupo instrumental SaGRAMA, o quarteto de cordas Encore e o sanfoneiro carioca Marcelo Caldi, dando uma roupagem armorial para as canções do Mestre Lua. São 32 músicas, entre as do repertório de Luiz Gonzaga e de outros compositores que o inspiraram e foram inspirados por ele.

O espetáculo conta ainda com projeções de imagens, coordenadas pelo VJ Gabriel Furtado, que prometem ajudar o público a viajar para o Sertão Gonzaguiano.

Fonte: http://g1.globo.com/pernambuco/musica/noticia/2014/12/fim-de-semana-tem-programacao-em-homenagem-luiz-gonzaga-no-recife.html