segunda-feira, 14 de abril de 2014

Parque Dona Lindu cai no samba com estrelas consagradas

Martinho da Vila, Diogo Nogueira, Alcione e Roberta Sá transformaram o local em Boa Viagem, na Zona Sul, em um sambódromo


Do JC Online

Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem


O Parque Dona Lindu, em Boa Viagem, Zona Sul do Recife, transformou-se numa casa de samba e de bamba, na noite deste domingo (13). Milhares de pessoas lotaram o espaço para assistir ao Nívea Viva o Samba, show que reuniu no mesmo palco artistas consagrados da música brasileira, como Alcione e Martinho da Vila, ao lado da nova geração, representada por Diogo Nogueira e Roberta Sá. Durante pouco mais de duas horas, o público apreciou e cantou sambas de todas as épocas.

O show começou pontualmente às 17h30, com uma chuva repentina que ameaçou espantar o público. Mas bastou os quatro cantores subirem no palco e entoarem, juntos, o clássico de Zé Ketti A voz do morro para a turma esquecer a preocupação com os cabelos e engrossar o coro.

A partir daí, os cantores começaram a se revezar no palco, cantando sozinhos, em duplas ou todos juntos. Foram 27 sambas escolhidos a dedo, desde clássicos como Feitiço da Vila (Noel Rosa e Vadico), E o mundo não se acabou (Assis Valente) e Com que roupa? (Noel Rosa), até os mais populares, caso de Meu ébano (Neneo/Paulinho Resende). Nesse último, a Marrom (como Alcione é conhecida) levou o público ao delírio.

Muito à vontade no palco, a potiguar Roberta Sá pediu ao povo que acompanhasse o “hino” O que é o que é, de Gonzaguinha. O povo não se fez de rogado, formando um coro arrepiante. “Eu amo essa cidade. É uma prazer estar aqui, ainda mais cantando samba”, declarou Roberta Sá. “Este show dignifica o samba”, afirmou Martinho da Vila.

Além dos artistas, também chamou a atenção do público a produção impecável do show, acompanhando por uma orquestra repleta de violinistas e animado com vídeo clipes que acompanhavam as músicas. Enquanto Roberta Sá interpretava o clássico Pressentimento (Elton Medeiros/Hermínio Belo de Carvalho), uma cortina de flores desceu no palco.

Depois das 27 músicas, o público não se conformou e pediu bis. Os quatro artistas voltaram ao palco e emplacaram mais três canções, encerrando com O que é o que é. Pediram para fazer fotos com o público e saíram de cena, deixando a certeza de que as comemorações dos 100 anos do samba (em 2016) começaram com o pé direito. A Nívea, promotora do evento, também chega ao centenário no Brasil este ano. Por esse motivo, elegeu o ritmo mais brasileiro para homenagear desde agora.

Fonte: http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cultura/musica/noticia/2014/04/13/parque-dona-lindu-cai-no-samba-com-estrelas-consagradas-124912.php