sexta-feira, 29 de julho de 2016

Mostra Brasileira de Dança no Recife enxuga programação

Programação diminuiu, mas não perdeu a qualidade e traz espetáculos de todo o Brasil


Daniel Medeiros, da Folha de Pernambuco

Guaíra 4/ORIKIS- As companhias convidadas vêm do Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia

 É com uma programação mais enxuta, mas sem deixar de pensar na qualidade, que a Mostra Brasileira de Dança (MBD) chega à 13ª edição desta sexta-feira (29) até o dia 7 de agosto. Desta vez, serão 35 apresentações em 8 casas de espetáculos da capital pernambucana, além de 4 atividades pedagógicas gratuitas. Tudo realizado com financiamento do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura), apoio da Prefeitura do Recife e da editora Cepe.

"No Brasil inteiro, os eventos culturais estão sendo realizados com menos recursos. É um reflexo da crise financeira. Isso não diminuiu, no entanto, a qualidade da mostra. Estamos sempre ligados no olhar do público na hora de pensar a programação. Por isso, as sessões enchem", afirma Paulo de Castro, que dirige o evento em parceria com a produtora Iris Macedo. Os dois se encarregam da curadoria nacional do projeto, enquanto seis artistas locais ficam responsáveis por selecionar as obras pernambucanas.

Este ano, os organizadores prestam homenagem à bailarina, coreógrafa e diretora pernambucana Mônica Lira, fundadora do Grupo Experimental e figura fundamental na criação do Movimento Dança Recife. Três obras do repertório da artista - "Pontilhados", "Breguetu" e a remontagem de "Zambo" - ganham espaço na programação. "Sempre procuramos reconhecer alguém que tenha trânsito em todos os setores. Além disso, Mônica tem um trabalho artístico consolidado na cidade", defende Paulo.

As companhias convidadas vêm do Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia. A abertura ocorre no Teatro de Santa Isabel, às 20h, com o Balé Teatro Guaíra (PR). O grupo encena os espetáculos "Trânsito" e "Orikis", assinados pela coreógrafa Ana Vitória. As apresentações se repetem na noite seguinte, às 20h30. "O Guaíra é, sem dúvidas, uma das cinco grandes companhias de dança brasileiras. Acho que essa participação será um dos pontos altos do festival", diz o curador.

Entre as atrações locais, estão "Que corpo é esse?" (Coletivo Incomum), "Segunda pele" (Coletivo Lugar em Comum), "Onde ele anda é outro céu" (Qualquer Um dos 2 Companhia de Dança) e "Epílogo" (Grupo de Ballet Stúdio de Danças). Também serão promovidas duas mostras coreográficas com grupos em formação e profissionais, nos dias 4 e 5 de agosto. A programação formativa será desenvolvida ao longo da última semana do festival.

Serão ministradas ainda diversas oficinas pelo dinamarquês Peter Dietz. Completando as atividades, o Seminário Dança e Sustentabilidade arma uma roda de conversa entre Balé Guaíra (PR), Teatro Villa (BA), Focus Cia de Dança (RJ), Balé Popular do Recife (PE) e Academia Fátima Freitas (PE), no dia 1º de agosto, no Espaço Compassos. Outra novidade desta edição é a campanha "Adote um bailarino". A ideia é arrecadar artigos de dança em todos os palcos do evento. As doações serão entregues aos meninos e meninas do Compaz Alto Santa Terezinha.

Serviço

13° Mostra Brasileira de Dança do Recife
Quando: De 29 de julho e 07 de agosto
Quanto: R$ 30, R$ 15 (meia-entrada), R$ 10 (artistas e técnicos com a carteira do SATED/PE) e R$ 5 (artistas participantes do evento)
Informações: www.mostrabrasileiradedanca.com.br

Programação

29 de julho

“Trânsito e Orikis” - Balé Teatro Guaíra (PR)
Teatro Santa Isabel, às 20h

30 de julho

Visita guiada do Balé Teatro Guaíra (PR)
Compaz Alta Santa Terezinha, às 11h

“Trânsito e Orikis” - Balé Teatro Guaíra (PR)
Teatro Santa Isabel, às 20h30

“Que corpo é esse?” - Coletivo Incomum (PE)
Teatro Hermilo Borba Filho, às 19h

31 de julho

“Da Ponta da Língua à Ponta do Pé” - Núcleo Viladança (BA)
Teatro Santa Isabel, às 16h30

“Breguetu” - Grupo Experimental (PE)
Teatro Hermilo Borba Filho, às 18h e 20h

1º de agosto

“Pontilhados” - Grupo Experimental (PE)
Espaço Experimental, às 16h

2 de agosto

“Pontilhados” - Grupo Experimental (PE)
Espaço Experimental, às 16h

“Onde ele anda é outro céu” - Qualquer Um dos 2 Companhia de Dança (PE)
Teatro Arraial, às 19h

3 de agosto

“Epílogo” - Grupo de Ballet Stúdio de Danças (PE)
Teatro Apolo, às 19h

“Segunda Pele” - Coletivo Lugar Comum (PE)
Espaço Coletivo Lugar Comum, às 19h

4 de agosto

Mostra de Coreografias de Grupos em Formação
Teatro Luiz Mendonça, às 20h


5 de agosto

Mostra de Coreografias Profissionais
Teatro Apolo, às 19h

6 de agosto

“Zambo” - Grupo Experimental (PE)
Teatro Luiz Mendonça, às 20h


Fonte: http://www.folhape.com.br/cultura/2016/7/mostra-brasileira-de-danca-no-recife-enxuga-programacao-0337.html