terça-feira, 19 de novembro de 2013

Exposição "Ausências", em cartaz a partir desta terça-feira (19), na Galeria Janete Costa, no Parque Dona Lindu.


Exposição no Recife mostra lacunas deixadas por vítimas de ditaduras
'Ausências' faz parte da 3ª Jornada Estadual de Direitos Humanos. 
Famílias retratadas perderam parentes nas ditaduras brasileira e argentina.


Exposição mostra fotos do antes e do depois na vida de
familiares de desaparecidos na ditadura (Foto: Divulgação)

Vítimas das ditaduras brasileira e argentina deixaram lacunas irreparáveis em suas famílias. Para retratar a dor de perder entes queridos, o fotógrafo argentino Gustavo Germano traz 17 pares de fotos ao Recife para a exposição "Ausências", em cartaz a partir desta terça-feira (19), na Galeria Janete Costa, no Parque Dona Lindu, Zona Sul do Recife. A exposição abre às 19h e marca a 3ª Jornada Estadual de Direitos Humanos, realizada pela Secretaria Executiva de Justiça e Direitos Humanos. A entrada é gratuita.

Nas fotografias, o público poderá ver momentos dos militantes no seio familiar e, em seguida, o mesmo cenário sem a vítima, desaparecida desde abril de 1964. O trabalho contou com a ajuda dos parentes dos mortos e desaparecidos, que abriram seus álbums de fotografias ao artista.

Entre os militantes retratados estão Fernando Augusto de Santa Cruz Oliveira, que nasceu noRecife, foi preso e desapareceu no Rio de Janeiro, e Luiz Almeida Araújo, alagoano, participante do Movimento Estudantil em São Paulo, sequestrado em 1971 e desaparecido até hoje. Luiz Almeida é irmão de Amparo Araújo, diretora de Direitos Humanos da Prefeitura do Recife.

A exposição conta com o apoio do governo federal através da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, em uma parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos.