sexta-feira, 5 de agosto de 2016

"Treinadores" já estão nas ruas do Recife caçando pokémons

No primeiro dia de "Pokémon Go" no Brasil, várias pessoas foram às ruas capturá-los


Leo Motta/Folha de Pernambuco

Mesmo no sol, Rodrigo Siqueira rodava pela praça do Marco Zero para encontrar pokémons

Se, nos próximos dias, você vir alguém andando aparentemente sem rumo pela rua, olhando ou apontando o celular para um lugar qualquer, não estranhe. Muito provavelmente é um treinador pokémon em busca de alguma aquisição em "Pokémon Go". Nesta quarta-feira (4), primeiro dia de funcionamento oficial do jogo no Brasil, era possível ver diversas pessoas em busca dos pokémons no Recife.


Sob o sol da manhã, na praça do Marco Zero, no Bairro do Recife, o estudante Rodrigo Siqueira, de 24 anos, esperava abrir o escritório onde trabalha, próximo dali, e aproveitou para caçar pokémons. Para ele, o app é bom inclusive para o marketing da cidade. "Os pokéstops do jogo geralmente são pontos reais - monumentos, pinturas - da cidade que, muitas vezes, você não conhece, ou nunca reparou. Acaba que você passa a conhecer melhor a cidade", opina, entre uma captura e outra.


Leo Motta/Folha de Pernambuco
Leonardo acha que app promove interatividade com o espaço urbano

Na Zona Sul, o Parque Dona Lindu, em Boa Viagem, já virou ponto certo para os treinadores. Em meia hora, a reportagem do Portal FolhaPE flagrou mais de dez deles, mesmo sob um sol de quase meio-dia. Sozinhos e em grupos. Marina Oliveira, 18, e Lucas Nascimento, 21, moram em Setúbal e foram juntos procurar pelos bichinhos no parque. "É viciante", confessou ela. "É diferente de qualquer outra coisa já feita", completou Lucas.


O produtor cultural Leonardo Cabral, 22, baixou "Pokémon Go" na quarta-feira (3), assim que foi lançado, e nesta quinta, ao sair para pedalar, resolveu, também, aumentar sua lista de capturas. Passou no Dona Lindu para procurar monstrinhos e pretendia passar por parte da orla de Boa Viagem em busca de novas aquisições. "Acho bem legal a proposta do app, principalmente pela interatividade com o espaço urbano que ele propõe", opinou. Lucas Montenegro, 22, que andava pelo parque de skate também caçando pokémons, concordou. "As pessoas hoje ficam muito dentro de casa, presas em celulares e computadores. O jogo é um motivo para dar uma volta", disse.


Leo Motta/Folha de Pernambuco
Marina e Lucas saíram, mas com receio de assalto

"Pokémon Go" chegou ao Brasil na última quarta, depois de mais de um mês de espera. O jogo está disponível para smartphones com sistemas iOS e Android.


Segurança

Além do entretenimento e do hype do jogo, ponto comum entre os jogadores é a preocupação com a segurança durante as caçadas. Já começam a circular na internet notícias de pessoas que foram roubadas ao andar com o celular à mostra na rua. Outros, ainda, sofreram acidentes durante a jogatina.




Leo Motta/Folha de Pernambuco

Para Lucas, jogo é motivo para sair de casa

Rodrigo Siqueira, que estava no Marco Zero, confessou que só sacou o celular porque havia policiamento na área. "Em outros lugares com menos movimento, vou evitar usar", revelou. Lucas Nascimento disse também ter receio de sair na rua. "Em outros países, o jogo faz até com que você conheça outras pessoas. Aqui, você fica com medo. Já vimos muitas notícias de roubo", ponderou.

O delegado Igor Leite lembra que, como o jogo obriga o usuário a andar pela cidade, ficar atento às redondezas é imperativo - inclusive, essa é uma dica dada pelo próprio game ao iniciar. Segundo Leite, é preciso ser discreto nas caçadas e escolher horários com maior movimentação nas ruas. Se o assalto ocorrer, lembrar, sempre, de não reagir - a vida vale mais do que um pokémon ou um celular.

Outro ponto preocupante são as pessoas que jogam enquanto estão dirigindo. A Sompo Seguros S.A. chama atenção para a segurança viária. "A distração de jogar enquanto se está ao volante pode ser tão ou mais perigosa do que dirigir alcoolizado", alerta a empresa. Também lembra que a 13.281/2016, publicada em maio, definiu novos valores de multas de trânsito. A partir de novembro, a infração por manusear o celular enquanto estiver ao volante, que hoje é considerada média, passará a ser gravíssima. O valor da multa passa de R$ 130,16 para R$ 293,47.



Confira dicas do delegado Igor Leite para ter segurança durante a caçada:







Fonte: http://www.folhape.com.br/cotidiano/2016/8/treinadores-ja-estao-nas-ruas-do-recife-cacando-pokemons-0071.html