quinta-feira, 30 de outubro de 2014

No Recife, Festival de Circo celebra obra e história de Antônio Nóbrega


Espetáculo teatral, exposição e lançamento de filme homenageiam artista.
Com tema ‘Somos Todos Brincantes’, 10ª edição do evento começa sexta.

Do G1 PE
  •  
Nóbrega apresenta o espetáculo Tonheta e Companhia e faz show musical no Parque Dona Lindu, Zona Sul do Recife (Foto: Festival de Circo do Brasil/Divulgação)Nóbrega apresenta o espetáculo 'Tonheta e Companhia' e faz show musical no Parque Dona Lindu, Zona Sul do Recife. (Foto: Festival de Circo do Brasil/Divulgação)
Um espetáculo teatral, uma exposição e o lançamento do longa-metragem "Brincante", de Walter Carvalho, marcam a homenagem ao multiartista pernambucano Antônio Nóbrega no Festival de Circo do Brasil. Com o tema ‘Somos Todos Brincantes’, a 10ª edição do evento começa na sexta (31) e vai até 9 de novembro, com atrações em espaços públicos e teatros do Recife.

Além de ser uma celebração à obra e à história do artista, o mote ‘Brincante’ remete à cultura brasileira e à luta pela manutenção do Instituto Brincante, teatro-escola fundado por Nóbrega em São Paulo que se tornou um tradicional centro de educação musical e de cultura popular. “Agora em novembro, vamos completar 22 anos de atividade. Promovemos a cultura e o folclore através de cursos e apresentações, que já atenderam a mais de 20 mil pessoas”, orgulha-se Nóbrega.
[Ariano] é uma das pessoas mais importantes dentro do meu processo criador. A partir dele, me encontrei com a cultura popular, foi a grande função dele na minha vida. Ele norteou a minha vida artística"
Antônio Nóbrega
O Instituto Brincante corre risco de perder sua sede na Vila Madalena, bairro da capital paulista. O imóvel é alugado e o proprietário vendeu o terreno para uma construtora, que solicitou o despejo. “Já tivemos uma primeira audiência, temos outra marcada nesse próximo mês. Estamos trabalhando para mostrar a importância do espaço, que tem capacitações infantis, musicais e também atende a um público de baixa renda”, ressalta.

Com formação em música clássica, Nóbrega começou a admirar mais a música popular brasileira por influência do escritor e dramaturgo  Ariano Suassuna, parceiro de diversos trabalhos no Quinteto Armorial. Hoje, o artista é referência quando se fala na cultura popular e no frevo. “[Ariano] é uma das pessoas mais importantes dentro do meu processo criador. A partir dele, me encontrei com a cultura popular, foi a grande função dele na minha vida. Ele norteou a minha vida artística”.

Outro parceiro de Nóbrega, o diretor Walter Carvalho dirigiu o filme "Brincante". A pré-estreia está marcada para o dia 3, no cinema da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), dentro da programação do Festival de Circo. É o quarto trabalho da dupla.
Parceiro de Nóbrega, o diretor Walter Carvalho dirigiu o filme Brincante, que tem pré-estreia na Fundaj (Foto: Festival de Circo do Brasil/Divulgação)Parceiro de Nóbrega, o diretor Walter Carvalho dirigiu o filme 'Brincante', que tem pré-estreia na Fundaj.
(Foto: Festival de Circo do Brasil/Divulgação)
“Essa parceria é muito gratificante, nos identificamos muito. Ele tem dado uma dimensão em vídeo ao meu trabalho, que deixou de ser produto artístico apenas de teatro ou de shows para ser veiculado nas mídias digitais”, diz Nóbrega.
“Quando o vi pela primeira vez fiquei estarrecido com o que acontecia com a música, a dança e com o teatro. Me remetiam às minhas origens, somos vizinhos de estados [Walter é paraibano]. Em ‘Brincante’, Antônio não se apresenta para uma plateia e sim para uma câmera, procurei portanto no ator, no bailarino e no instrumentista as ferramentas para revelar com a linguagem do cinema o mundo dos seus personagens e dele próprio”, comenta Walter.
O diretor acrescenta que o caminho que ele encontrou para transformar os mais de 40 anos de pesquisa no campo da cultura popular em um espetáculo contemporâneo foi o da tela grande, o cinema. “Vivemos longe das nossas cidades em que nascemos e das nossas origens, eu há mais tempo que o Antônio, mas nunca deixamos de ser nordestinos e trabalhar com este imaginário e com este universo”, argumenta.

Tendo paisagens brasileiras como pano de fundo e através de linguagens artísticas como o teatro, a música e dança, o longa é um misto de ficção e documentário que propõe um olhar lírico sobre o universo do artista. “Um espetáculo em que todos os elementos da nossa cultura se misturam, o filme retrata o trabalho de uma vida que se caracteriza pela consistente leitura da cultura popular. A viagem musical e visual é guiada pelos personagens João Sidurino e Rosalina, das peças ‘Brincante’ e ‘Segundas Histórias’, interpretados por Nóbrega e Rosane de Almeida”, destaca a organização do festival em nota encaminhada à imprensa.
Apresentação de Nóbrega vai mostrar canções de vários espetáculos do artista, com criações próprias e obras de compositores como Luiz Gonzaga e Dorival Caymmi (Foto: Festival de Circo do Brasil/Chema Llanos/Divulgação)Apresentação de Nóbrega vai mostrar canções de vários espetáculos do artista, com criações próprias e obras de compositores como Luiz Gonzaga e Dorival Caymmi.
(Foto: Festival de Circo do Brasil/Chema Llanos/Divulgação)
Mostra Antônio Nóbrega
Além do filme, a Mostra Antônio Nóbrega traz ao festival outras atividades dedicadas ao trabalho do pernambucano. No sábado (1º), a exposição "Brincante", que conta com fotografias e curadoria de Walter Carvalho, será aberta na Galeria Janete Costa, no Parque Dona Lindu, Zona Sul da cidade. A montagem da exposição ficou a cargo de Antonio Guido. No mesmo dia, Nóbrega apresenta o espetáculo "Tonheta e Companhia", encarnando seu clássico personagem, um legítimo palhaço brasileiro, que traz na essência o espírito do circo, reunindo música, teatro e dança. A apresentação ocorre no Teatro Luiz Mendonça.

Já no domingo (2), Antonio Nóbrega faz um show musical no Parque Dona Lindu. A apresentação traz canções de vários espetáculos do artista, com criações próprias e obras de compositores como Luiz Gonzaga e Dorival Caymmi.

Na segunda (3), o artista participa de um debate sobre a interseção entre circo e dança, à tarde, e à noite marca presença na pré-estreia do filme “Brincante”. O filme terá duas sessões, às 19h20 e às 21h10, com entrada gratuita. Os ingressos serão distribuídos uma hora antes do início de cada sessão.

A abertura do Festival de Circo ocorre nesta sexta (31), no Teatro de Santa Isabel, Centro do Recife, com a companhia francesa Les Rois Vagabonds. Em “Concerto para dois clowns”, um casal de palhaços, vestidos como rei e rainha, alia a execução de peças de música clássica com humor. A programação completa do evento e da mostra em homenagem ao pernambucano pode ser conferida neste link.
Luta pela manutenção do Instituto Brincante, teatro-escola fundado por Nóbrega em São Paulo, é destaque no evento (Foto: Festival de Circo do Brasil/Rogério Vieira/Divulgação)Artista luta pela manutenção do Instituto Brincante, teatro-escola fundado por Nóbrega.
(Foto: Festival de Circo do Brasil/Rogério Vieira/Divulgação)

 


Fonte: http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2014/10/no-recife-festival-de-circo-celebra-obra-e-historia-de-antonio-nobrega.html